artigo_temposdequarentena

Conversas com Gandhy Piorski: Reflexões para os tempos de quarentena

Como encarar as mudanças impostas pela pandemia?

As medidas de distanciamento social por conta do coronavírus estão mexendo com dinâmicas pessoais, sociais e econômicas no mundo inteiro. As tentativas de interpretação e contextualização de certos aspectos desses tempos de quarentena, portanto, são necessárias e podem ser benéficas para nosso processo de autoconhecimento. 

Pensando nisso, a MOVA lançou a série “Tempos de Quarentena”, com Gandhy Piorski falando sobre o impacto que o momento atual pode ter nos indivíduos e na sociedade. 

Confira abaixo algumas das reflexões feitas pelo pesquisador a partir de determinados tópicos. 

Crianças e o Isolamento Social

“As crianças precisam de horizontes para formular subjetividades. Espaço está ligado à ideia de liberdade. Portanto, se expandir com o corpo é uma valoração da liberdade. Ao mesmo tempo, as crianças pequenas se incomodam menos, pois estão mais próximas dos pais. Se criarmos pequenos ritos que as ajudem a encontrar as próprias naturezas humanas elas vão ficar satisfeitas.”

Cotidiano Caseiro

“As pessoas estão despreparadas para um cotidiano como o atual, e por isso estão em pânico. Isso sem falar das pessoas em situação de pobreza, que não possuem privilégios e escolhas.”

Momento de Renovação

“A reclusão só é renovadora se a gente se sintoniza com o que ela traz. Precisamos desenvolver uma capacidade interna que exige disciplina. Precisamos ver como o básico do básico é rico”

Mudança de Realidade

“Esse lugar do nascedouro dos sonhos e das aspirações humanas recebeu um abalo sísmico e isso é uma potência para inúmeras possibilidades. Tudo é resultado do magneto de desejos e impulsos que carregamos. Nada é aleatório. Poucas pessoas estavam curtindo essa realidade escravagista em que estávamos inseridos.”

A Nova Escola

“Essa formulação de escola está se perdendo. Esse formato não dá mais conta de existir. Está na hora de instalar na vida das crianças maiores a ideia de disseminar uma utopia que as historias vão acabar e que devemos festejar o final delas, pensando como vai ser o futuro da educação de nossas crianças. As próprias crianças não vão mais tolerar esse tipo de ensino”

Tempos de Ressurreição

“A ressurreição que precisamos viver em nós é uma força da natureza. As crianças tentam nos mostrar como estamos ressurgindo a nossa humanidade neste momento, pois elas não estão sendo terceirizadas por babás ou avós. Elas estão pedindo para seguirmos nesse caminho”

Crise Econômicas

“Pode significar uma derrocada profunda dos sistemas econômicos. E os senhores da escravidão ja estão procurando formas para sugar lucro nessa realidade. Ainda acho que vamos ter um tempo para encontrar uma possibilidade de estabelecer redes para viver com um pouco mais de dignidade” 

A Recondução

“Não peço para ficarmos anos trancados em casa, mas talvez seja necessária uma quarentena longa, de rodízio humanos, para podermos  sobreviver e renascer. Espero que de alguma forma esse impacto seja realmente maior, para termos uma transição de consciência que reconduzam a humanidade” 

Sacrifícios da Humanidade

“Gerações que enfrentaram guerras conhecem o conceito de sacrifício. E o sacrifício é uma grande verdade da transição. Muitas pessoas tem um senso de missão durante períodos como esse. Entretanto, vivemos em outra realidade, na qual o governo pressiona a volta ao trabalho para não dar um amparo social. Por isso precisamos restabelecer os lugares das coisas no mundo”

Gostou dos pensamentos de Gandhy Piorski? Então veja abaixo os dois primeiros episódios da série #TemposdeQuarentena:

Aproveite e siga a MOVA nos canais abaixo para receber mais conteúdos sobre ressurreição, infância, educação e autoconhecimento:

Instagram

Youtube

Facebook

COMPARTILHE

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on print
Share on email